Mulher

 

O SITICOM faz sindicalismo com legitimidade. Executa o avançado e necessário modelo que a contemporaneidade exige. Nada de anacronismos, braços cruzados, despreocupação ou imobilismo deixando o tempo passar. Cada minuto precisa ser muito bem aproveitado.

 

O SITICOM está em constante evolução, acompanhando as mudanças, promovendo o debate, incentivando a participação dos trabalhadores e trabalhadoras em todas as iniciativas que o aproximem da realidade. Não há mais espaço para a ociosidade em nenhum segmento produtivo, muito menos no sindicalismo.

 

Neste contexto, buscar a absoluta autonomia das mulheres trabalhadoras é questão de honra. Há muito tempo o sindicato executa as mais variadas ações tendo este objetivo como fim. O SITICOM jamais silenciou diante da discriminação da mulher trabalhadora em todo e qualquer ambiente ou situação. Se insurge contra toda ação que caracterize desrespeito, humilhação ou agressão a mulher, especialmente a trabalhadora. Incentiva a denúncia e exige rigorosa punição aos infratores.

 

O Departamento da Mulher do SITICOM procura disciplinar medidas direcionando-as a plena satisfação das trabalhadoras; à efetiva busca da emancipação; completa autonomia; independência pessoal, moral e intelectual. Enfim, que elas tenham liberdade para utilizar “leis próprias”.

 

As ações levadas a efeito consistem em discussões a respeito do direito de decidir, adotar aquilo que entende ser melhor para nós mulheres e nossa família. No campo do trabalho o SITICOM não mede esforços para conquistar e efetivar em documento, cláusulas que façam a diferença. Assim, queremos que a mulher, no mercado de trabalho, priorize a empresa mantenedora de uma visão direcionada ao acolhimento da mulher, à mãe e trabalhadora.

 

O Departamento defende a participação da representação feminina do SITICOM nos diversos espaços governamentais ou não, disponíveis. A presença da representação deve ocorrer, entre outros setores, nos Conselhos Municipais e nas entidades sindicais como Federações, Confederações e Centrais Sindicais.

 

Assim se faz sindicalismo com responsabilidade e justiça social.

 

   

 

PROJETO DE TRABALHO

O Departamento da Mulher do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Chapecó, tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento das políticas de promoção  da igualdade e de valorização das diversidades em todas as dimensões, buscando o diálogo como forma legítima de condução das relações entre Estado e sociedade. Terá a sua frente recurso humano para este fim, bem como seus recursos financeiros serão advindos da Entidade Sindical.

 

1)   FINALIDADE:

 

2)DIRETRIZES:

 

3) PROPOSTAS:

 

3.1) Autonomia, igualdade no mundo do trabalho e cidadania

  1. Promover ações em parceria com órgãos públicos, federações e confederações, ampliando o acesso das mulheres sem discriminação de etnia ao mercado de trabalho, buscando garantir todos os benefícios e oportunidades para o exercício pleno da cidadania;
  2. Promover campanhas de conscientização visando à ampliação da formalização das relações de trabalho equidade salarial e a eliminação de práticas discriminatórias de assédio moral e sexual, por meio das ações de inspeção do Trabalho e através de campanhas de conscientização;
  3.  Buscar garantir o cumprimento da legislação no âmbito do trabalho remunerado;
  4. Buscar mecanismos de orientação e estímulo à divisão das tarefas domésticas, orientando programas e projetos multidisciplinares que qualifiquem também os pais para a tarefa de educação dos filhos;
  5.  Incentivar e promover o acesso das mulheres à educação e à capacitação profissional, com participação de parceiros, adequando às exigências do mercado formal atual;
  6. Oportunizar trabalho de voluntariado para mulheres idosas e não aposentadas;
  7. Desenvolver campanhas em parcerias, de conscientização sobre a violência da mulher;
  8. Elaborar projetos de capacitação de mulheres, buscando melhor qualificação para o mercado de trabalho;
  9. Trabalhar a inclusão digital das mulheres sócias do SITICOM, através de cursos profissionalizantes na área da informática, com valor reduzido e acessível;
  10. Estabelecer parceria com as Secretarias Municipais de Saúde e de Educação para trabalhar a saúde e educação das mulheres trabalhadoras.

 

3.2) Educação Inclusiva

  1. Valorizar, estimular e apoiar as iniciativas culturais femininas e dar visibilidade cultural às mulheres;
  2. Promover ações no processo educacional e no seio da família para a equidade de gênero, raça, etnia e orientação sexual;

 

3.3) Saúde das Mulheres, direitos sexuais e direitos reprodutivos

  1. Realizar campanhas de esclarecimento e sensibilização da população feminina e masculina sobre o planejamento familiar, DST / HIV / Aids;
  2. Sensibilizar os profissionais da área da saúde para o atendimento humanizado aos grupos com orientações sexuais diversas;
  3. Desenvolver palestras de orientação sobre a saúde da mulher;
  4. Promover ações de conscientização do planejamento familiar.

 

3.4) Violência contra a mulher

  1. Promover e intensificar ações preventivas e educativas em relação à violência doméstica e sexual, contemplando a mulher com deficiência;
  1. Criar o CAM – Centro de Atendimento a Mulher. Local onde as mulheres serão recebidas por voluntários das áreas Direito, Assistência Social e Psicologia. Receberão informações e orientações nestas áreas.

 

Izelda Teresinha Oro - Presidente

 

Baixe aqui a Cartilha de Saúde da Mulher.

Baixe aqui a apresentação do Programa Mulher, Viver Sem Violência.

Veja aqui sugestões de cláusulas para pautas de negociação.

Leia aqui o artigo da Revista Crescer: Mulher x Trabalho x Família.